Solteiros com Filhos

Friends with Kids, Estados Unidos, 2011. Direção: Jennifer Westfeldt. Roteiro: Jennifer Westfeldt. Elenco: Adam Scott, Jennifer Westfeldt, Jon Hamm, Kristen Wiig, Maya Rudolph, Chris O’Dowd, Megan Fox, Edward Burns. Duração: 107 minutos.
Um dos objetivos dos personagens de Solteiros com Filhos depois do nascimento do primeiro filho é o de permanecerem legais. Mesmo que este desejo venha de uma brincadeira, a injeção de responsabilidade é tão intensa que antes descontraídos e divertidos adultos cedem lugar a criaturas estressadas e exaustas e as (raras) saídas noturnas e programas com os amigos tornam-se tão animadores quanto trocar uma fralda suja no meio da madrugada. Ao menos isto é o que constatam os amigos solteiros nas visitas cada vez mais escassas e turbulentas pois, encarando outro momento na vida, pensam enxergar um panorama amplo onde amor, felicidade e filhos são palavras mutuamente excludentes. 
Escrito, dirigido e estrelado por Jennifer Westfeldt, um clone menos avoado da Lisa Kudrow, a Phoebe de Friends, o roteiro segue os melhores-amigos Jason (Scott) e Julie (Westfeldt) que, ao observar o ambiente permanentemente instável na vida familiar dos casais de amigos Ben (Hamm) e Missy (Wiig) e Leslie (Rudolph) e Alex (O’Dowd), decidem conceber um filho fora do casamento, sem envolvimento amoroso e mantendo intacta a amizade. A ideia, claro, é vista com descrença, zombaria e expectativas forjadas no fracasso, mas eles se mostram bem sucedidos na educação do pequeno e mantêm a chama sexual acesa com outros parceiros (interpretados por Megan Fox e Edward Burns), o que provoca naturalmente inveja e mágoa nos outros casais.
Apesar da divisão de responsabilidades ocorrer a princípio sem prejuízo da amizade, as coisas não saem como planejado e Julie começa a despertar uma afeição não correspondida por Jason, um mulherengo incorrigível, dono de comentários infelizes e infantis sobre flertes e posições sexuais. Aliás, para um cafajeste, Jason mostra-se incapaz de ler nas entrelinhas a vontade da amiga em formar uma família. Tal contexto sugerido e as situações decorrentes não são novos, e é fácil recordar outras comédias românticas ao pensar brevemente na narrativa: Juntos pelo Acaso apresentava uma proposta às avessas; Amizade Colorida Sexo sem Compromisso, os riscos de embarcar numa amizade com benefícios; e Plano B ou Coincidências do Amor, as intempéries de mães solteiras e respectivos envolvimentos românticos.
Todavia, diferente dos exemplares acima, que variam do descartável ao aceitável, Solteiro com Filhos tem uma narrativa madura, livre da maioria dos aborrecidos penduricalhos liberais, e ostentando um charme nas rugas e linhas de expressão de personagens que, na contemporânea Nova York, até agem segundo os modernos preceitos de relacionamentos, mas cultivam os sonhos clássicos de amor e família. A diretora Jennifer Westfeldt também não exagera em artimanhas cômicas e no cinismo sarcástico (oportunidades não faltaram para isto), além de ter a sorte de contar com o espirituoso Adam Scott e suas tiradas inspiradas (“Vamos excluir o nosso filho? Falar mal dele pelas costas?“) e uma história atual e verossímil (observe Alex enxugando as mãos no suéter de Leslie, para identificar aonde o abuso de intimidade conjugal nos conduz).

Contando com dois protagonistas improváveis, Adam Scott e Jennifer Westfeldt, que não carregam o estigma de serem rostos conhecidos e bonitinhos de comédias românticas, o elenco também conta com confiáveis coadjuvantes egressos de Missão: Madrinha de Casamento, Kristen Wiig, Maya Rudolph, Jon Hamm e Chris O’Dowd, além da beldade Megan Fox e Edward Burns. Aliás, a sequência que reúne todos em um jantar de ano-novo é emblemática e eficiente ao evidenciar as rachaduras e mesquinharia existentes nas amizades, e nem a aparentemente gratuita canalhice de um personagem foge da atenção da diretora que concede um momento de humanização posterior.

Revelando um timing cômico adequado, diferencial de boas comédias de situação, a montagem de Tara Timpone acerta nos cortes secos (Julia e Jason sozinhos no bar depois da festa de aniversário deste), e nos raccords sonoros encadeando sequências distintas (a revelação dos planos de gravidez). Também é difícil não se apaixonar pela fotografia de Nova York em estações charmosas como o outono e inverno ou com a trilha sonora incidental que, mesmo intrusiva em certos momentos, acerta geralmente no bom gosto musical. 

Pecando apenas no desfecho tolo, apressado e previsível – aí sim, rebaixando o filme ao nível daqueles citados mais acima -, Solteiros com Filhos comprova os talentos múltiplos de Jennifer Westfeldt e é uma opção atraente e agradável para escapar dos blockbusters deste período.

Próximo

Sanjuro

Tsubaki Sanjûrô, Japão, 1962. Direção: Akira Kurosawa. Roteiro: Ryûzô Kikushima, Hideo Oguni e Akira Kurosawa. Elenco: Toshirô Mifune, Tatsuya Nakadai, Keiju Kobayashi, Yûzô Kayama, Takashi Shimura, Masao Shimizu, Yûnosuke Itô. Duração: ... Read more

Anterior

Branca de Neve e o Caçador

Snow White and the Huntsman, Estados Unidos, 2012. Direção: Rupert Sanders. Roteiro: Evan Daugherty, John Lee Hancock e Hossein Amini. Elenco: Kristen Stewart, Chris Hemsworth, Charlize Theron, Sam Claflin, Sam ... Read more

One Comment on “Solteiros com Filhos”

  1. Estou afim de conferir Solteiros com Filhos há muito tempo. Chris O'Dowd é um dos melhores comediantes em atividade (nem sempre aproveitado como deveria no cinema), egresso da igualmente brilhante série inglesa "The It Crowd". O resto do elenco (vale lembrar: quase todos vindo de séries televisivas) é igualmente ótimo e instigante. Se vier pros cinemas goianos, verei, com certeza!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *